Clínica de reabilitação em São Paulo

clinica de recuperação em sp

Clínica de reabilitação em São Paulo – Como funciona o tratamento?

São Paulo

Clinicas de recuperação em SP Masculinas

Muitas dúvidas começam a surgir de fato quando o assunto é o tratamento de dependentes químicos e alcoólatras.

Para entrarmos no assunto, a primeira coisa que devemos de fato saber é que

a dependência química é sobretudo uma doença crônica, e que, embora existam tratamentos,

não há cura de acordo com a ciência, mas, todavia, o programa é completo e busca minimizar todos os impactos

trazendo soluções e metodologias que uma vez empregadas no cotidiano do dependente químico são eficazes e conseguem fazer com

que o dependente químico se mantenha abstinente.

A vantagem que mais se destaca quando o assunto é tratamento de dependentes químicos em uma clínica de reabilitação em SP ou em qualquer lugar do mundo

é a possibilidade de tirar o adicto do seu ciclo vicioso, proporcionando um afastamento dessa rotina de uso, e uma nova proposta de vida.

A ideia é sobretudo conscientizar os pacientes quanto aos mecanismos e riscos dessa doença.

Durante o período de internação, o paciente será avaliado por uma equipe completa e multidisciplinar, a qual propõe um plano de

tratamento individualizado, pensado nas necessidades individuais de cada paciente.

Com o apoio de uma equipe capacitada, a chance de recuperação é alta, visto que o acolhido poderá

contar com apoio incondicional desses profissionais em tempo integral para todas as suas demandas no período mais crítico que são os primeiros meses.

A ideia de uma internação, sobretudo, não é de meramente afastar o dependente químico da sociedade

e sim de propor uma série de metodologias que o permitirão um novo começo.

Recomeçar sem drogas e com a cabeça cheia de novas ideias é o propósito, reestruturar a vida do dependente químico em todos os aspectos.

No entanto, vale lembrar que a dependência química é de fato uma doença incurável, de acordo com a ciência, e assim sendo,

requer a prática e a boa vontade do dependente químico em colocar em prática a programação orientada, após sua alta.

Pandemia potencializou riscos da dependência química

Durante os últimos 24 anos, a potência da cannabis

aumentou em até quatro vezes em algumas partes do mundo.

No ano passado, cerca de 275 milhões de pessoas no mundo usaram drogas e mais de 36 milhões

de pessoas sofreram de doenças relacionadas às drogas, com base no Relatório Mundial sobre Drogas 2021. O arquivo foi divulgado hoje pelo Escritório das Nações

Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC).

O relatório afirma que, nos últimos 24 anos, a potência da cannabis quadruplicou em certas partes do mundo.

Embora a proporção de adolescentes que pensam que a droga é prejudicial tenha caído 40%, ainda há evidências de que o uso de cannabis está associado a vários riscos à saúde.

Os que mais são afetados são os dependentes regulares a longo prazo.

“Menor consciência do risco do uso de drogas está associada a uma maior taxa de uso de drogas.

As descobertas do Relatório sobre o Problema Mundial das Drogas de 2021 do UNODC

enfatizaram a necessidade de fechar a lacuna entre a percepção e a realidade, a fim

de educar os jovens e proteger a saúde pública”, disse a diretora-executiva do UNODC, Ghada Waly.

De acordo com o relatório, entre 2002 e 2019, a porcentagem de THC, o principal componente psicoativo da cannabis, aumentou de cerca de 6% para mais de 11% na

Europa, e de cerca de 4% para 16% nos Estados Unidos. Entre 1995 e 2019, a proporção de adolescentes que pensam que

a maconha é prejudicial caiu 40% nos Estados Unidos e 25% na Europa.

Além disso, em investigações com profissionais de saúde em 77 países, 42% disseram que o uso da maconha teve um aumento grande desde o incio da pandemia.

O uso não medicinal de medicamentos também aumentou durante o mesmo período.

Entre 2010 e 2019, o número de usuários de drogas aumentou 22%, em parte devido ao crescimento da população global.

Com base apenas nas mudanças demográficas, as previsões atuais indicam que até 2030, o número de usuários de drogas em todo o mundo aumentará 11%, enquanto

a África aumentará drasticamente em 40% devido ao rápido crescimento e população jovem da África.

De acordo com as últimas estimativas globais, aproximadamente 5,5% da população de 15 a 64 anos usou drogas pelo menos uma vez no ano passado,

e 36,3 milhões de pessoas, ou 13% do número total de usuários de drogas, sofrem de drogas doenças relacionadas.

Globalmente, há uma estimativa de que mais de 11 milhões de pessoas fazem o uso de injeção de drogas, metade das quais vivem com a doença Hepatite C.

Os opioides ainda são a maior causa de doenças causadas pelo uso de drogas.

A metadona e a buprenorfina são os dois opioides mais comumente usados para pacientes com doenças relacionadas.

Nas últimas duas décadas, eles se tornaram cada vez mais acessíveis.

O número disponível para fins médicos aumentou seis vezes desde 1999, de 557 milhões de doses por dia para 3,317 milhões de doses em 2019, indicando

que os tratamentos científicos com medicamentos estão agora mais acessíveis do que no passado.

O mercado de drogas dark web só surgiu há dez anos, mas agora as vendas anuais no mercado principal atingiram pelo menos US $ 315 milhões.

Embora esta seja apenas uma pequena parte das vendas farmacêuticas globais, mostrou uma tendência ascendente de meados de 2011 a meados de 2017 e meados de 2017 a 2020,

com um aumento de quatro vezes.

O novo relatório apontou que o mercado de drogas retomou rapidamente as operações após a interrupção inicial da pandemia,

o que desencadeou ou acelerou a explosão de certos movimentos de tráfico pré-existentes no mercado global de drogas.

Isso inclui: aumento do transporte de drogas ilícitas, aumento da frequência das rotas terrestres e fluviais usadas para o tráfico, aumento do uso de

jatos particulares para fins de tráfico de drogas e aumento do uso de sistemas sem contato para transportar drogas.

O relatório também apontou que a cadeia de abastecimento de cocaína que leva à

Europa está se diversificando, baixando os preços e melhorando a qualidade, ameaçando a expansão do mercado de cocaína na Europa …

Isso pode aumentar o dano potencial causado pela droga na área.

O número de novas substâncias psicoativas (NSPs) surgindo no mercado global caiu de 163 em 2013 para 71 em 2019. sso reflete as tendências na América do Norte, Europa e Ásia.

O que de fato acontece é que os sistemas de controle nacionais e internacionais conseguiram limitar sso reflete as tendências na América do Norte, Europa e Ásia.

Acontece que os sistemas de controle nacionais e internacionais conseguiram limitar sso reflete as tendências na América do Norte, Europa e Ásia.

Acontece que os sistemas de controle nacionais e internacionais conseguiram limitar a disseminação de NSP em

países de alta renda, onde, há uma década, APARECERAM as primeiras substâncias psicoativas.

APSUA, BELLA CLINIC E CAPITAL REMOÇÕES empresas que inovaram a busca por tratamento em todo Brasil

clínica de recuperação em SP

A primeira coisa que devemos pensar sobretudo, antes de até mesmo oferecer a ajuda adequada

a uma pessoa dependente química ou alcoólatra, precisamos todavia entender o relacionamento desses com o alcoolismo e com a dependência química. 

Tratamentos:

Você deve estar sobretudo ciente de que o vício não é simplesmente uma dependência física.

Muitos são os impactos emocionais, psicológicos que assolam essas doenças.

Deve-se saber que os alcoólatras também têm uma relação emocional e mental

muito forte com o álcool, o que significa que existem três tipos de dependência que eles precisam controlar.

Isso torna, sobretudo, três vezes mais difícil para um dependente químico superar a dor sozinho.

Desta forma como você pode manter um utensílio qualquer para fazer você se sentir mais seguro em momentos em que está mais nervoso,

os dependentes de álcool dependem do álcool como o próprio nome já diz, para se sentir confortável e sobretudo seguro.

E tornar-se sóbrio significa ter seu controle tirado deles.

Ou seja, a dependência química em seu estágio ativo (no uso) é para o dependente químico o seu “normal”.

Fora dessa realidade do uso ele se sente estranho, inseguro, e quer todavia fugir dessa realidade.

Um número enorme de pessoas, porém, faz todavia um uso nocivo do álcool,

pois ocasional ou regularmente bebe acima das quantidades consideradas normais.

Se por exemplo em uma festa, a pessoa beber cinco copos de cerveja ou três de uísque,

está todavia ingerindo mais do que seu organismo tolera em termos de intoxicação alcoólica, qualquer dose superior a isso o tira do humor.

Dependendo do organismo, até menos.

É claro que do ponto de vista biológico consumir álcool, por exemplo, regularmente três doses de uísque ou de pinga / cachaça causa impacto

físicos muito significativos como por exemplo hipertensão arterial ou doenças gástricas e hepáticas relacionadas ao consumo de álcool. 

A pessoa que consome pode não ser dependente, mas nem por isso deixa de lesar o organismo quando exagera no consumo da bebida.

Como podemos ajudar um parente dependente químico ou alcoólatra?

Como podemos ajudar uma pessoa dependente química ou alcoólatra? CLÍNICA DE REABILITAÇÃO EM SP

A seguir, listamos algumas dicas de como ajudar uma pessoa dependente química ou alcoólatra:

  • Sobretudo, em primeiro lugar, você precisa aceitar e entender que o alcoolismo é uma doença progressiva, incurável e fatal, e então procurar conhecê-la.
  • Outro ponto importante é que você não vai convencer que alguém está doente se você mesmo não acredita nisso e não entende os mecanismos dessa doença
  • Tome cuidado com o próprio envolvimento emocional.
  • Este é o momento crucial onde se deve deixar qualquer angústia, mágoa ou ressentimento do passado de lado.
  • É importante não agir com sentimentos de vingança ou rancor, por mais difícil que isso possa ser na sua relação com o dependente químico. Perdão e compaixão são muito importantes neste momento;
  • Se disponibilize e sobretudo ofereça segurança.
  • Mostre ao dependente químico que você é uma pessoa de confiança e que também confia nele e em sua recuperação, acreditando sempre que essa pessoa pode ter uma qualidade de vida melhor;
  • Seja sobretudo paciente e perseverante, pois este processo não é nada fácil e pode demorar um tempo maior até que a pessoa reconheça de fato que tem uma doença crônica e precisa de tratamento;
  • Contudo, quando a pessoa aceitar o fato de que precisa de ajuda, faça o acompanhamento, não a abandone em nenhum momento até que esta esteja totalmente livre da dependência do alcoolismo.

No Brasil, um dado curioso, 13% da população masculina adulta têm problemas com álcool

e dois terços desses 13% abusam de seu uso.

Essas pessoas então bebem três doses de uísque – ou uma dose substancial que vale por três – e dizem em sua maioria:

não sou alcoólatra porque só bebo isso e mais nada.

Se você imaginar sobretudo se separar de um relacionamento de longo prazo

ou se encontrar subitamente perdido em um país diferente sem um mapa, floresta sem bússola, começará a entender a mentalidade da pessoa que deseja ajudar. 

Cada um de seus sentidos está todavia se adaptando a novas situações sem álcool, nas quais eles confiam há tanto tempo.

Portanto, é um processo assustador, um recomeço no escuro. A pessoa está se refazendo.

Clínica de reabilitação em São Paulo – Alertas:

Existem alguns sinais de alerta de que um alcoólatra ou dependente químico em recuperação serão apresentados sobretudo quando seus pensamentos

em relação ao álcool começarem a mudar.

Esses sinais e comportamentos são muito comuns e sobretudo difíceis de controlar,

para que possam ocorrer em qualquer momento do processo de recuperação.

  • Afastamento social, pouco convívio ou mudança de ciclo de amizades
  • Instabilidade emocional e dificuldades nas tomadas de decisão
  • Realizando algumas escolhas irracionais
  • Inventar histórias e discursos de desculpas para a sua recuperação, bem como protelar uma internação = AUTO SABOTAGEM.
  • Ansiedade, inquietação, irritabilidade entre outros sintomas de recaídas.
  • Apresentando negação sobre seus pensamentos em relação ao álcool, ou sobre ser uma pessoa doente.
  • Apresenta uma série de mudanças de humor ou exagerando nas situações
Importante: SEJA COMPREENSIVO, MAS NUNCA PERMISSIVO

É todavia necessário você ter o cuidado de entender a diferença entre compreensão e permissividade.

A pessoa que está em situação de alcoolismo ou dependência química precisa sobretudo de compreensão, mas não de permissividade. 

Ao invés de permissividade, ele precisa do contrário disso: limites. 

E todavia pode, inclusive, precisar de internação compulsória, ou involuntária, caso não reconheça a necessidade de tratamento. 

E se for esse o caso nós também podemos lhe ajudar.

Temos o tratamento involuntário para alcoólatras e dependentes químicos, que é destinado a casos como esse.

Basta somente solicitar nossos serviços, entre em contato conosco!

PARTICIPE DO TRATAMENTO – Clínica de reabilitação em São Paulo

Após o processo de internação, orientamos sobretudo que a família tente participar ativamente do processo de tratamento.

Para isso oferecemos na cl´ínica  o tratamento para o familiar, em que orientamos aos familiares

quais são as melhores técnicas e ferramentas para ajudar na recuperação do alcoólatra e dependente químico

ESTEJA DISPONÍVEL – Clínica de reabilitação em São Paulo

Quando o tratamento for finalizado e o acolhido voltar para casa, acolha-o com carinho e lhe dê muito amor.

Faça-o todavia sentir que está no lugar certo, entre as pessoas que o amam. Isso vai ser muito importante para o dependente químico.

EVITE LUGARES PESSOAS E COISAS NOS PRIMEIROS MESES

Um dos maiores problemas sobretudo enfrentados pelos alcoólatras e dependentes químicos , por exemplo, após internação é a possibilidade de uma recaída.

Se a família por sua vez em casa não tiver essa consciência, com certeza vai dificultar o processo.

Deixe as bebidas alcoólicas longe de sua casa e com certeza você estará ajudando bastante nesse processo.

Sabe aqueles amigos, companheiros de bar? As pessoas que gostam geralmente de ir para sua casa fazer churrasco e tomar cerveja nos finais de semana?

Tente convencê-los a uma diversão sem bebida alcoólica, ou evite que o dependente de álcool e drogas esteja no recinto se confraternizações como essas forem acontecer.

Se não der certo, não aceite mais as festinhas em casa, ao menos por um período.

AUXILIE ELE NO PÓS-TRATAMENTO DO ALCOOLISMO E DA DEPENDÊNCIA QUÍMICA

Clínica Apsua Clínicas de Recuperação oferece um serviço inclusive de pós-tratamento para alcoólatras e dependentes químicos

destinado às pessoas que finalizaram o tratamento.

O pós-tratamento tem como principal objetivo e característica ajudar o dependente a permanecer firme no seu propósito de mudança de vida. 

FALE CONOSCO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Post

Tratamento para dependentes químicos em São Paulo SP e Santos SP

Clinicas de recuperação para alcoólatras em SP Tratamento para dependentes químicos em São Paulo SP e Santos SP A ClINICA APSUA está oferecendo aos dependentes químicos um excelente tratamento para

Tratamento Involuntário em Itanhaém

Tratamento Involuntário em Itanhaém Tratamento Involuntário em Itanhaém CLÍNICA ASUA: A MUDANÇA DE VIDA DECIDIDA POR VOCÊ!!!!!! A CLINICA ASUA disponibiliza tratamentos de internação involuntária na cidade de Itanhaém sp,

plano se saúde no tratamento para dependentes químicos e alcoólatras

Clinica de recuperação que aceita convênio médico / plano de saúde: Amil, Bradesco,Unimed, Sul América entre outros…

Encontre por clinica de reabilitação para dependentes químicos e alcoólatras que aceita convênio médico Amil-Bradesco, Unimed e Sul América, internação para dependente químico e alcoólatra pelo convênio médico / plano

error: Content is protected !!