Clinica de recuperação feminina em Embu das Artes SP

Confira as fotos desta incrível clínica de reabilitação em SP:

Método de tratamento – Clínica de reabilitação

A dependência química é uma doença crônica que assola milhares de famílias ao redor do mundo, e que portanto, tem uma crescente procura por tratamentos que permitam

Que o paciente tenha a conscientização de seu problema e comecem então a avançar gradualmente no propósito da recuperação.

O tratamento contempla uma série de terapias, atendimentos, atividades em grupo e individualmente que enfatizem a ideia da abstinência de forma total para a recuperação plena.

Existem muitos estudos que visam pela redução de danos, diminuição de doses e até mesmo troca de substâncias no intuito de propor uma recuperação menos dolorosa.

Acontece que todavia a dependência química é uma doença que progride a medida que o paciente começa a consumir drogas ou álcool.

Não existe redução de danos para doença que progride com a substância, ainda que se tente, no final a frustração pode aparecer.

O trabalho de uma clínica de recuperação pretende então, entregar uma nova meta de vida aos pacientes, os reorganizando, e entendendo que a abstinência é a única forma segura de se manter bem e para sempre.

Se o paciente se mantém em abstinência, ele portanto, estaciona a doença, e só deve se preocupar com a manutenção periódica de sua recuperação

se lembrando sempre, que ainda que está limpo, ainda é impotente perante aquela substância e que se voltar a usar, o ciclo de recuperação deve se repetir, e mais tempo demorará para que ele

alcance a plenitude e segurança.

É possível ter uma vida normal, mesmo sendo dependente químico em recuperação, bem como, é possível recuperar senso crítico, relações e tudo o que a droga tira da vida das pessoas.

RECUPERAÇÃO

A recuperação requer paciência, boa vontade, esperança, desejo genuíno em ficar bem, reconhecimento de perdas e danos, reconhecimento de falhas de caráter, autoconhecimento

esforço, abdicar de desejos momentâneos, pontuar, analisar e considerar situações de risco, requer, sobretudo, que o paciente mantenha sempre aceso o ideal da recuperação.

Ele precisa viver para isso, ter em mente que o foco de tudo deve ser a plenitude de sua recuperação, se ele estiver limpo, todas as outras coisas podem ser conquistadas, mas um deslize pode colocar tudo a perder.

Apesar de muito sério, os pacientes que são dependentes químicos não sabem lidar muito bem com frustrações, e por isso, é preciso encarar as coisas com tato e responsabilidade.

A ideia do tratamento é promover o autoconhecimento, conhecimento sobre a dependência química enquanto doença, e entender que o uso de drogas é só o final do ciclo.

O ideal é entender que de fato essas pessoas precisam de ajuda para saberem lidar com elas mesmas, com as situações adversas e saber sobretudo a controlar suas reações quando

As coisas saem fora daquilo que elas esperam.

Na internação, os pacientes aprenderão a viver, com essas ferramentas, no entanto, será possível reconhecer o que é preciso parar e o que é preciso investir.

Ainda que o paciente esteja em negação depois de um tempo na clínica ele tende a adquirir conhecimento e se render ao tratamento.