Tratamento para dependentes químicos

Tratamento para dependentes químicos e alcoólatras em SP e em todo o Brasil, confira!

A primeira coisa que devemos mencionar sobretudo com relação ao tratamento para dependentes químicos é que

esse tratamento deve ser completo, abrangente e contemplar todas as áreas afetadas pela dependência química.

Portanto, o tratamento deve contar com atendimentos e consultas com profissionais devidamente capacitados, afim de

proporcionarem uma mudança consistente tanto nos aspectos físicos, mentais, psicológicos e emocionais.

A dependência química é uma doença biolõgica, psicológica, social e que atinge não só o dependente químico como toda a sua

rede de apoio (família, relacionamentos, profissão, emprego, vida acadêmica, amigos).

Se refazer do processo de dependência não é uma tarefa fácil, requer boa vontade e sobretudo tratamento adequado.

Existem diversas formas de tratar a dependência química e alcoólica.

A mais comum e eficaz ainda é processo de internação, tendo em vista que durante o processo de recuperação em uma clínica de recuperação

o paciente passa por processos que reavaliam e recuperam seu aspecto físico, mental, psicológico emocional e social.

A parte biológica é restaurada através de uma adaptação de rotina que contempla exercícios físicos, descanso, boas horas de sono

alimentação adequada e introdução medicamentosa se crise.

Vale ressaltar que a introdução medicamentosa só será indicada em casos de crises, ou quando o paciente já tiver desenvolvido alguma comorbidade

proveniente do uso abusivo de drogas e álcool.

Além desse suporte, os profissionais também vão auxiliar na área social do paciente,

com programas de capacitação profissional, coach pessoal e profissional, incentivo a novas descobertas sejam elas por atividade

recreativa ou profissional, na intenção de estimular o adicto a novas paixões, coisas que possam trazer satisfação e realização.

É importante dizer que NADA substitui ou equivale ao prazer da droga, porém o preço a ser pago por esse prazer é muito alto

e pode custar a vida, que vale muito mais do que qualquer prazer ainda que grande, mas passageiro.

O vazio deixado pela droga é enorme, e tentar preencher essas lacunas com coisas e atividades saudáveis é extremamente benéfico para o tratamento.

A clínica promove ainda o zelo e cuidado em um momento crítico que são os primeiros 30 dias sem drogas.

Estar internado significa não ter acesso a essas substâncias por um determinado período,

muito benéfico para o processo de recuperação.

No período mais cr´ítico da vida sóbria do dependente químico ele durante a internação não terá acesso a droga,

o que torna o processo mais confortável, estará longe de sua zona de risco, protegido e assistido por profissionais sérios e capacitados.

Isso torna a internação como a opção mais assertiva em casos de pacientes que já perderam o controle da situação.

A parte social é refeita aos poucos também com reuniões e orientações às famílias que devem sobretudo

mudar seus velhos hábitos ao final da internação.

A mudança de comportamentos deve ser para todos, desse modo o processo se torna eficaz.

Além de uma mudança estratégica familiar, o adicto contará com todo o suporte psicológico e psiquiátrico para

de fato conseguir alcançar a sobriedade.

Tratamento de traumas, aprender a lidar com os sentimentos, se propor a abrir uma mudança de comportamentos, hábitos e atitudes

podem de fato provocar uma mudança sólida.

A assistência em uma clínica pode provocar grandes mudanças na vida do dependente químico.

No entanto, se a pessoa não puder se dispor a um tratamento em regime de internação, ou ainda, se

esse não for o caso, a recomendação médica pode ser ainda por tratamentos alternativos, como o tratamento ambulatorial.

Tratamento ambulatorial