Clínicas e métodos de tratamento para dependentes químicos/alcoólicos

– Clínicas especializadas encontre aqui.  Clinicas para tratamento de alcoolismo e dependência química que aceitam planos de saúde/convênios médicos

 Nosso artigo de hoje , busca levantar os diversos tópicos , bem como  as dificuldades enfrentadas pelos pacientes de dependência química/alcoólica e as de seus familiares para encarar de frente o problema com abuso de álcool e drogas diversas  e os tratamentos disponíveis para cada caso. Esperamos que , ao final dessa leitura , você opte por tratamento que atenda suas necessidades ou para alguém que você ame e que se encontre à deriva no oceano escuro das drogas.

  Entendendo os 5 estágios  do tratamento para dependência química  

Por conta de nossa larga experiência com pacientes de dependência química , e o contato que , normalmente , são feitos por seus familiares , sabemos que tomar a decisão de procurar por uma  internação pode ser muito difícil. Mas , deixemos claro antes de mais nada , que o tratamento de dependência química deve ser encarado como uma oportunidade de ouro para resgatar  uma vida  que esteja em destruição.

Precisamos , e devemos , encarar os fatos sob uma óptica livre de quaisquer preconceitos , e oferecer total  apoio que dependente químico e/ou alcoólatra tanto necessita  para recuperar o auto controle e recomeçar a vida.Sabemos ,  também , que o caminho não é nem um pouco  fácil.

No decorrer do tratamento ,  tanto o paciente quanto seus familiares  passam por uma série de enfrentamentos e descobertas , nem sempre agradáveis. Mas , mesmo não sendo fácil , esse processo pode ser vivenciado com menores sobressaltos quando se conta com suporte profissional especializado ,  qualificado e com  acolhimento humanizado.Abaixo ,  falaremos um pouco mais sobre os estágios que compõem o tratamento especializado , e de como essa abordagem é realizada nas clínicas credenciadas. Esperamos que você encontre a solução que está procurando. 

 Afinal de contas ,   o que é a “dependência” alcoólica e/ou química? 

 A Organização Mundial da Saúde (OMS) define sobre o que é a “dependência alcoólica e química”  de forma altamente  precisa para que possamos entender melhor o quadro dessa “doença”:  “A dependência química é uma doença crônica e progressiva que consiste nas consequências físicas e mentais trazidas pelo uso abusivo de substâncias (lícitas ou ilícitas)  nocivas ao organismo. È  um transtorno mental , caracterizado por mudanças de comportamento , mas  passivo de tratamento.” Mediante isso , devemos enxergar o dependente químico como alguém que é portador de uma doença crônica , e não fazer pré julgamentos  como  aqueles  de “caráter fraco ou duvidoso” .

Sendo assim , como qualquer outra doença crônica  ,  a dependência exige abordagem terapêutica especializada , cabendo , principalmente , aos familiares e amigos esquecer estigmas e dogmas sociais e buscar ajuda qualificada o quanto antes.

 Tipos de substâncias que causam a dependência química  

A dependência química é resultante do consumo recorrente e abusivo de diferentes substâncias psicoativas , sejam lícitas (álcool e medicamentos controlados)  ou ilícitas. A seguir , falaremos  sobre três dessas substâncias e seus efeitos nocivos ao organismo. 

 1 – Álcool: Por contar com uma grande aceitação social , o álcool , muitas vezes nem é encarado como droga e seu uso constante , descontrolado e progressivo compromete sobremaneira o funcionamento do organismo levando à conseqüências sérias e , por vezes , irreversíveis. Quando não , a morte do usuário. Segundo relatórios realizados pelo Ministério da Saúde , cerca de 18% da  população adulta brasileira  faz uso abusivo de bebidas alcoólicas.São inúmeros os  motivos que levam uma pessoa à dependência alcoólica , tais como: a pressão social , a necessidade de aceitação  em determinados grupos , problemas com familiares e/ou afetivos ou , ainda ,  a busca por prazer que não encontra em outras atividades. 

 2- Cocaína:  A cocaína  é uma substância que produz efeitos estimulantes no sistema nervoso central.  Seu uso está vinculado , diretamente ,  à busca pela sensação de euforia , excitação , desinibição ,  onipotência , vigor e outros (ilusórios). Porém , todas essas sensações são passageiras , levando o individuo à consumir novamente ,  em  quantidades maiores  e em espaços de tempo mais curtos. 

 3- Crack:  Com altíssimo poder de desenvolver a dependência , o crack propicia sensações muito parecidas com as da cocaína , uma vez  que é um derivado seu: o sulfato de cocaína.  Muito mais barato e acessível , e cerca de cinco vezes mais potente  que a cocaína  , o crack vem sendo cada vez mais utilizado. E ,  engana-se quem pensa que  somente as pessoas de baixo poder aquisitivo estão afundadas nesse vício. Hoje ,  o crack está girando – e fazendo vítimas – em todas as classes sociais. Os números são assustadores , cerca de seiscentos mil pessoas são dependentes  dessa droga , só no  Brasil. É comum que o uso de crack esteja associado ao consumo de diversas outras drogas , seja o individuo motivado pela curiosidade ,  influência do meio em que vive , vulnerabilidade social ou , ainda ,   por questões psicológicas. 

O tratamento de dependência química pode ajudar o paciente e sua  família?

A dependência química é extensiva pois não afeta apenas a vida do usuário ;   a sua família e pessoas de seu convívio são atingidas também. Por isso , procurar por  tratamento em uma clínica especializada  que aborde , minuciosamente ,  as  particularidades genéticas , bioquímicas , de  personalidade , as condições físicas , relação familiar , o nível de comprometimento social causado pela doença  , e que  ofereça ao paciente a retomada de  um estado de consciência onde ele seja capaz de entender o problema pelo qual está passando e , principalmente , descubra a origem do mesmo. Buscar por esse tipo de tratamento , é permitir que essa pessoa deixe de beber ou usar outras drogas , bem como  que ela reformule totalmente seu modo de vida.

Através de uma abordagem completa (biopsicossocial ) , onde serão   considerados os contextos biológico , psicológico e social do paciente , e de um  tratamento individualizado e humano que tem por base métodos e protocolos científicos , as chances de recuperação são gigantescas. E essa é uma possibilidade de ouro para  reconstruir laços com a família e vida social que não deve ser negada a ninguém. 
Quais são os tipos de tratamentos para dependentes químicos utilizados pelas clínicas especializadas?

 Internação voluntária

A pessoa que está em um quadro de dependência leve e que tem a consciência de que isso pode se agravar , solicita , por conta própria , sua  internação , ou  mesmo a consente. No caso da internação

voluntária  , o paciente assinará uma declaração dizendo que optou por esse regime de tratamento. O término dessa modalidade de  internação pode ser solicitada , também por  escrito ,  pelo paciente

 ou por determinação do médico responsável.Porém , internação voluntária poderá se transformar em involuntária e o paciente não poderá sair da instituição sem que a equipe médica considere que

 ele esteja apto.

 Internação involuntária:

É a modalidade de tratamento  que acontece sem o consentimento do paciente e a pedido dos familiares.  Mas é possível que o pedido venha  a ser feito por outras fontes ou seja , um médico ou outro  agente de saúde. Nesse último caso , o  pedido tem que ser feito por escrito e avaliado por um médico psiquiatra que emitirá um laudo justificando a necessidade de tal intervenção. A lei determina que os responsáveis técnicos do estabelecimento de saúde (clínicas especializadas/hospitais) comuniquem , no prazo máximo de 72 horas , ao Ministério Público do Estado os motivos de solicitarem a internação  para evitar a possibilidade de esse tipo de intervenção possa  ser utilizado para a cárcere privado.

Internação compulsória

Para a internação compulsória ocorrer , não é necessária a autorização familiar. Ela é determinada pelo juiz da vara competente , após pedido formal , assinado por um médico psiquiatra ,

 atestando que o indivíduo não possui domínio sobre a suas condições física e psicológica. Sendo assim , essa é a única  diferença existente entre a internação involuntária e a compulsória.
  

Na sequência desse artigo ,  falaremos sobre as terapias que complementam o tratamento clínico , e que precisam ser vistas de maneira indispensável como uma forma de manter a sobriedade.   

1)Grupos de apoio

A terapia mais utilizada pelas clínicas especializadas é o modelo de 12 passos , mundialmente conhecido por meio de organizações como o Alcoólicos Anônimos (AA) e o Narcóticos Anônimos  (NA). Nesse método , a cada passo percorrido ,  e  vencido , há um novo desafio a ser superado para  a total retomada do  controle de sua própria vida.  A filosofia contida no método dos 12 passos , é um convite ao paciente para mergulhar  profundamente em sua consciência , estimulando ou retomando  o desenvolvimento da espiritualidade , bem como a reprogramação de crenças , valores  e responsabilidades cotidianas.  

2)Psicoterapia

A psicoterapia permite ao paciente lidar melhor ,e de forma racional , com as suas expectativas de vida , permitindo que ele possa promover  mudanças de comportamentos e  maneira como  interpreta  suas crenças , reconhecendo as mudanças que necessita realizar. Para que isso ocorra de maneira satisfatória , é fundamental que se  estabeleça  uma relação de confiança entre o paciente e o terapeuta , possibilitando , assim ,  que o método dos 12 passos seja bem absorvido e aplicado não apenas durante o período de  internação , mas , e principalmente , no pós-tratamento.  

Entendendo como são as 5 fases do tratamento da dependência química.

A dependência química é uma doença de caráter crônico  progressivo , que afeta o indivíduo em todos os aspectos de sua vida.  Sim , é possível ser tratada e controlada , porém  o tratamento é bastante complexo e envolve a superação e vivência de 5 fases diferentes , como mostraremos  a seguir:   

1)Estágio de pré-contemplação

Pela ótica do dependente , tudo está sob controle… posso parar quando quiser!!

Nessa primeira fase da internação , o dependente químico ainda reluta fortemente  às mudanças de comportamento , pois não entende (ou não aceita)  que seu vício , e as atitudes resultantes  dele , vêm sendo um problema que atinge outras pessoas além de si mesmo. Pessoas estas que o paciente  acusa de preocupação excessiva e que não existem motivos  para uma mudança de atitude.Nesta etapa do tratamento , são trabalhadas a desintoxicação (de forma medicamentosa) , a quebra de barreiras e de resistências  e , principalmente , os efeitos da  abstinência decorrente da retirada do organismo da substância causadora do vício.

Com base nas  informações obtidas na entrevista médica inicial , a equipe clínica traça um plano de trabalho de integração ao grupo , onde serão discutidos os  conceitos da doença , a perda de domínio próprio , a impotência para lidar com o vício , a falta de habilidade  para lidar com conflitos diários , inadequação social , egocentrismo e mecanismos de defesa.Além desses temas  , também é abordado o uso abusivo de álcool e  drogas , e os prejuízos causados em seus relacionamentos familiares e sociais , bem como os  financeiros , que estão diretamente ligados com esse comportamento.

O objetivo é despertar a motivação do paciente de dependência em recomeçar do zero , rumo a uma  “nova” forma de viver.

 2)Contemplação  

Nessa fase ,  o dependente  começa a despertar sua  consciência de que tem , sim ,  problemas sérios com o consumo de drogas ; entretanto , não se esforça para mudar de comportamento e atitude.O dependente químico que se encontra nesse estágio do tratamento ,  usa e abusa de argumentos defensivos para seus atos , negando  os e , muitas vezes , criando maiores obstáculos a serem enfrentados.

E , apesar de dar os primeiros sinais de que necessitapromover mudanças , ele ainda possui  dúvidas e inseguranças que  podem levar a desistência  do tratamento.A partir desse ponto , o paciente começa a estabelecer  uma relação com a instituição (clínica) e o programa de tratamento , considerando mudar de  concepção  sobre sua dependência e , assim ,  contribuir para a  própria recuperação.Ele passa  a entender , e a enxergar , a conexão entre seu  comportamento destrutivo e os problemas causados pelo vício em drogas ou álcool  e , também , começa a reconhecer os inúmeros benefícios de parar de usar a tal substância. Para que isso aconteça de forma positiva  , a equipe precisa saber como trabalhar a ambigüidade do paciente  , favorecendo o aumento de sua auto crítica e a conscientização de seus fracassos e  prejuízos.Tudo isso , para que ele descubra os seus “gatilhos destrutivos” e se engaje , com força de  vontade ,  na mudança necessária para  vencer os sentimentos conflituosos. 

3)Preparação

Nesta fase do tratamento da dependência  , os problemas e prejuízos causados por ela são encarados com maior clareza , levando o interno a aceitar , de forma racional,  que uma mudança de atitude e que fazer frente ao vício é fundamental.O indivíduo começa a descobrir que algumas atitudes podem auxiliá-lo em sua recuperação e , assim , começa a se preparar para dar  início às tais mudanças. Quando isso acontece , o paciente , efetivamente , busca a ajuda da equipe profissional e se enche de ânimo com a possibilidade de uma nova vida , longe das drogas/álcool. 

4)Ação

Enfim !! Essa é a fase em que as  mudanças começam a ser  sentidas e vivenciadas , e os comportamentos e gatilhos emocionais  (e problemáticos)  passam a ser revistos de forma objetiva. Porém , essa  também é  uma fase que exigirá muita dedicação , motivação e , principalmente , muita perseverança. Mas ,  que já apresentará resultados bastante visíveis no enfrentamento à dependência química. É neste momento que o paciente encontra  ferramentas próprias para colocar em prática a sua recuperação efetiva , passando a  buscar por  ações  positivas que , com toda certeza , vão elevar a sua motivação.

Desenvolvendo o autoconhecimento , reconhecendo e assumindo suas falhas , avaliando honestamente  suas vidas afetiva e sexual , seus relacionamentos sociais e profissionais ,  bem  como a própria relação com dinheiro e bens materiais são pontos de fundamental  relevância para que sejam corrigidos os erros cometidos.Espera-se que este seja o momento em que  o paciente já esteja apto a evitar comportamentos de risco. 

5)Manutenção

Embora todo o  tratamento exija empenho e muita força de vontade , esse é o estágio que contém os maiores desafios para o paciente de dependência química enfrentar , pois é na  manutenção que ele irá aplicar , e testar , os ensinamentos e ações das fases anteriores que o fizeram chegar ao processo de mudança.  O esforço para permanecer  “limpo” é continuo.  É nessa hora , portanto , que será aplicada , e levada a sério , o mantra  “só por hoje” , para evitar uma recaída e  perder todo o tratamento. 
Pós-tratamento da dependência química , como é feito e sua importância

Como já explicamos , manter a sobriedade é uma fase que precisa de  zelo e vigilia permanentes. Tendo em mente que a dependência é uma doença crônica e sem cura específica , a fase de manutenção  será para a vida toda. Com ela , vem o momento de aplicar todos os conceitos vividos durante a internação.

 É muito importante que o paciente desenvolva habilidades , e  consciência ,  que o ajudem a evitar as recaídas. Por isso , deve-se  traçar um planejamento rigoroso para o período posterior à internação , com metas a serem vencidas em curto , médio e longo  prazos.Ressaltamos que a preparação para o pós-tratamento é feita durante a internação , e conforme a evolução do paciente , quando o mesmo  é chamado a conscientizar-se  da sua realidade e a aprender a lidar com suas  emoções e crenças limitadoras. É muito importante saber que  existe ,  também , a elaboração de planos emergenciais que ajudam o paciente a  lidar com perdas afetivas , desemprego e outras situações em que o uso abusivo de drogas se coloca como uma possibilidade de fuga. 

Qual é o melhor método de tratamento para dependentes químicos?

Partindo de nossa experiência na intermediação de pacientes e clínicas , sempre oferecemos o que há de  melhor e mais moderno em termos de  tratamentos para a dependência química. Sendo assim , só podemos acreditar (e oferecer) na internação feita por meio da abordagem psicossocial , a forma mais humanizada de acolher e receber  o paciente , oferecendo cuidados específicos e  individuais  às suas necessidades. Conforme dissemos anteriormente , o tratamento especializado não tem por objetivo apenas eliminar o consumo da droga/álcool , mas , principalmente , promover qualidade de vida e oferecer novas e reais chances de ressocialização.  


Quais são as vantagens do tratamento de dependência química em uma clínica especializada?

Se analisarmos a fundo todas as fases do tratamento de dependência química , podemos perceber o quão complexo e cheio de desafios ele pode ser.  A fase de desintoxicação , por exemplo, é uma etapa que exige acompanhamento médico em tempo integral , pois durante esse tempo o paciente necessitará de medicamentos que terão que ser monitorados. Sendo assim ,  procurar ajuda especializada em  uma clínica qualificada  , é oferecer a quem ama o cuidado necessário e seguro para que essa pessoa  possa se recuperar efetivamente. Não esquecendo ,também ,  que uma estrutura que disponibilize  acompanhamento multidisciplinar durante as 24 horas do dia , é um diferencial que deve ser considerado.  
Dúvidas muito comuns sobre o tratamento de dependência química.

É muito comum ( mais do que você imagina ) encontrarmos familiares de dependentes químicos com incontáveis dúvidas e falta de informação sobre como funcionam , e quais as chances de  sucesso do tratamento em uma clínica multidisciplinar. Se este for o seu caso , veja aqui as respostas a algumas das questões mais recorrentes.   

Qual é o percentual de recuperação de dependentes químicos?

Fazer um  levantamento exato desse número é uma tarefa difícil , especialmente porque , sendo a  dependência química é uma doença crônica passiva  a recaídas , o número de recuperados  efetivos é de difícil contagem. Ao invés de olharmos  para esses números , aconselhamos que o foco seja na oferta de suporte constante , no  acompanhamento especializado durante e pós  internação , bem como o apoio oferecido aos  familiares. 
Quanto tempo é necessário para o tratamento de dependência química?

Amparados em estudos científicos , e também na experiência de anos atendendo dependentes químicos , concluímos que  o período de seis meses é o tempo necessário para um tratamento completo e com maiores chances de sucesso.Mas,vale ressaltar que tudo dependerá das particularidades de cada caso. 
Tratamento gratuito para dependentes químicos é recomendado?

O tratamento para dependência que são  oferecidos em diversas instituições , nivelam-se pela imparcialidade ,  ou seja: contrato particular , por planos de saúde/convênios médicos ou mesmo o   gratuito ,  não  diferencia os serviços prestados. Todos são tratados respeitando suas necessidades especificas. 

A dependência química tem cura?

A resposta é não! Infelizmente não existe cura específica , pelo menos até os dias atuais. A dependência química é uma doença crônica e progressiva , que exige vigilância constante e permanente. Mas , partindo do objetivo desse artigo , é  passiva de tratamento e controle terapêutico no pós internação.Nossa  missão aqui , é a de oferecer á  cada um dos nossos internos  a possibilidade de se recuperar e de assumir o protagonismo da sua história. 
Concluindo ,

Quando o assunto é dependência química  , não existem atalhos. Basta dar atenção às fases descritas acima para constatar como cada uma delas tem seu papel importante a cumprir.  Acreditamos , pia e cientificamente , que o suporte profissional especializado é fundamental , e o único meio para tratar o uso abusivo de tais substancias nocivas à saúde sejam banidas por  completo da vida desse paciente.

Esperamos ter elucidado suas dúvidas e contribuído para uma tomada de decisão quanto a buscar por ajuda especializada , seja  para você ou para alguém que você ama. Entre em contato com nossa equipe de atendimento 24 horas. Estamos a postos para ajudá-lo nessa caminhada .

 Clínica para  Tratamento da dependência química e alcoólica / Codependência familiar / Masculina / Feminina/ Mista / Adolescente     

 Gostou desse artigo? Leia mais sobre este e outros assuntos aqui em nossa página.  Ficou em dúvida sobre algum ponto discutido? Está precisando de clínica especializada para tratamento?  Faça uma consulta com nossos atendentes e descubra que tem solução para tratar a dependência .  Teremos enorme satisfação em ajudar você e/ou seu familiar. Juntos encontraremos a solução adequada e  mais próxima de você.

   Tratamentos – Centro de reabilitação de usuários de drogas e álcool- Centro de reabilitação de drogas e alcool- Clínica para recuperação para dependentes alcoólicos- Internação involuntária, como proceder- Internação involuntária para dependentes químicos- Tratamento complementar com ibogaína e canabidiol- Terapia individuais e em grupo- Terapia familiar  

   Trabalhamos com os Convênios Médicos:

 – Bradesco

– Sulamérica

– Amil-

Unimed Central Nacional

– Unimed RJ

– Porto Seguro 

(Para outros planos de saúde , consulte nossa central)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Post

Tratamento involuntário em clinica de recuperação em Santos

Tratamento involuntário em clinica de recuperação em Santos Tratamento involuntário em Santos A sua busca por tratamentos involuntários na cidade de Santos sp litoral sul paulista é de extrema importância

clinicas para alcoólatras

Clínicas para alcoólatras – Clinica para tratamento do alcoolismo

Alcoolismo – Clínicas para tratamento – Apsu A Tratamento álcool e drogas Considerado como doença pela Organização Mundial de Saúde, o alcoolismo é a dependência do indivíduo ao álcool ,com

Clinica de recuperação em SP

Clinica de recuperação em São Paulo – Tratamento para dependentes químicos e alcoólatras, clinica de dependente químico, clinica para alcoólatra, clinica para alcoolistas em SP, tratamento da dependência química em

error: Content is protected !!