Como encontrar as melhores clínicas de reabilitação no estado de São Paulo


Segundo um estudo da UNIFESP, aproximadamente 28 milhões de pessoas têm algum ente dependente químico na família. A pesquisa mapeou os dependentes em recuperação e constatou que são em média 8 milhões só no Brasil internados, estes são dependentes de drogas como maconha, álcool ou cocaína.
As clínicas de reabilitação aceitam um plano de saúde ou convênio médico para internar dependentes. A maioria dessas dúvidas pode surgir quando o assunto é escolher uma clínica de reabilitação em São Paulo e que tenha qualidade e trabalhe com respeito, comprometimento e ética.

Muitos fatores podem ser cruciais na hora da escolha, ainda mais quando o tema é a estrutura física do local. O período a…

Como é o tratamento para dependentes químicos ?

Um dos maiores questionamentos de quem tem um dependente químico em casa é como funciona o tratamento para dependentes químicos .
É muito difícil viver com uma pessoa que tem um vício em uma substância química ilícita, pois ela passa a conviver com o tempo, unicamente para o uso dela.

Esta convivência torna tudo muito complicado, afetando as relações de familia, gerando discussões e rompimentos de laços e trazendo muita dor de cabeça para os entes queridos do dependente químico.

É por esse motivo que muitas famílias, já perdidas e não vendo mais o que fazer, procuram pelo tratamento para dependência em drogas em clínica de recuperação.

Nos locais das clinicas, elas entendem que os usuários irão ter todo o apoio e o monitoramento necessário para que possam se livrar da dependência que possuem e voltar a ter uma rotina normal como todos tem.

Como funciona um programa para dependência química?

Acompanhe este texto até o final e entenda mais sobre este assunto!

Tratamento para dependentes químicos: a internação
O tratamento para dependentes químicos, geralmente, se diz respeito a internação em uma clínica de recuperação.

Este modelo de tratamento é muito mais adequado do que o dependente que se trata ficando em casa ou apenas parcialmente em uma clínica de reabilitação, isso torna as coisas mais complicadas para ele fugir da dependência.

Desta forma, não escolher pela internação pode levar por água abaixo às chances de sucesso no tratamento, já que o viciado tende a ficar mais perto de possíveis perigos que o levem a fazer o uso das drogas ilícitas.

Dessa maneira, o tratamento para dependentes em drogas tem inicio com a própria internação do mesmo em uma clínica de recuperação , onde ele poderá ter toda a ajuda necessária para tratar-se de forma ideal.

Para que a internação seja realizada, existem três formas de ela ocorrer: a internação voluntária, a internação involuntária e a internação compulsória.


Vamos detalhar cada uma a seguir:

Internação voluntária para viciados em drogas

O próprio dependente resolve se tratar, ele aceita que precisa de ajuda e por si mesmo adere ao tratamento.

Por esse motivo ele deve assinar um termo de consentimento explicitando que está internando-se por conta própria.

Para receber a alta, o próprio paciente pode pedi-la junto a um médico responsável e apto a dizer se está pronto para ela.

Internação involuntária para viciados em drogas

A internação involuntária é aquela na qual existe a requisição da família do dependente ou responsável legal para que viciado seja internado, estabelecendo assim que ele será tratado com eficácia e poderá chegar ao objetivo de superar o vicio.

Neste método de internação não é preciso que se tenha o acordo com o dependente, porém para que ele possa ser internado é necessário passar, primeiramente, pela analise do médico responsável.

Na internação involuntária, a clínica de reabilitação que irá receber o dependente deve sempre contatar o Ministério Público Estadual, tanto no inicio quanto na saída do paciente.

Existem duas opções de alta, onde os familiares podem pedi-las alegando que o dependente está recuperado ou o médico pode dá-la ao longo do tratamento.

Jamais, em caso da internação involuntária, o próprio dependente pode pedir sua alta!

Internação compulsória para viciados em drogas


Esta outra forma de iniciar o tratamento para dependentes químicos por meio da internação é com o método de internação compulsória.

A internação compulsória é diferente das outras duas pois ela não é requisitada nem pelo dependente e nem pela família ou responsável, mas sim pela justiça.

No geral, esse tipo de internação é apropriado quando o viciado comete algum tipo de delito devido ao uso de uma substância química, as autoridades veem está situação como um perigo para a sociedade e para ele próprio.

Para ser internado por está modalidade é extremamente necessária a prescrição de um laudo médico explicitando que o dependente precisa desse tipo de internação.

Da mesma forma de como ocorre a internação, para receber alta, o dependente precisa da justiça intervir e dar como apto o recebimento da alta.

O tratamento para dependentes químicos


A intervenção terapêutica para usuários de drogas é multimodal, isso significa que ele é realizado de muitas formas ou etapas que juntas formam um único método de tratamento.

A maneira ideal de tratamento irá ser indicada de acordo com o que usuário precisa, e ela é avaliada sempre que ele é internado em uma clínica de recuperação.

Uma parte dos dependentes , por exemplo, necessitam do tratamento medicamentoso, para conseguir vencer a barreira da abstinência e para iniciar a desintoxicação de seu organismo, já outros não precisam passar por essa etapa.

Vamos agora detalhar todas as etapas do tratamento para dependência química.

Etapa de desintoxicação ou limpeza do organismo


Esta é uma etapa muito essencial para a desintoxicação inicial do depende , pois o seu organismo será “limpo” e todas as substâncias tóxicas serão retiradas para evitar problemas futuros.

É uma etapa muito difícil, ela necessita ser acompanhada de perto e monitorada por uma equipe multidisciplinar para garantir que o dependente possa reagir a ela da melhor forma possível.

Esta etapa visa a reabilitação física e a diminuição dos sintomas de abstinência que as substâncias causam dentro do usuário.

Quando o dependente não tem a substância em seu corpo, o organismo e a mente sofrem abstinência, o que pode causar sintomas como palpitações, ansiedade, inquietação, dores no corpo, entre muitos outros.

Em muitos casos, geralmente quando há muito sofrimento psicológico, podem ser prescritos medicamentos como os ansiolíticos e os antidepressivos pelos médicos.

As medicações ajudam também o paciente a reduzir o forte desejo pela droga ilícita em que possui vício, sendo necessário tomar esses medicamentos superar essa crise.

Ainda existem outros medicamentos que podem ser ministrados nessa etapa do tratamento, como aqueles que reduzem as chances de convulsões e os que reduzem as percepções de euforia, prazer e também de animação.

Conhecendo as terapias comportamentais
As terapias comportamentais estão entre os métodos de maior importância dentro do tratamento para dependentes químicos, pois é por meio delas que o paciente passará a aceitar que está doente e precisa ser tratado antes que as coisas fiquem piores.

Aceitar este fato é a principal chave para que o dependente possa vir a ter benefícios durante tratamento a que está sendo feito.

O processo terapêutico engloba tanto as sessões individualizadas com psicólogos, terapeutas ou psiquiatras, em que se buscara as raízes de seu problema, como também em reuniões de apoio em grupo.

Este apoio com profissionais ajudará o dependente químico a reconhecer suas fraquezas, aceita-las e por fim trata-las sem nenhum precoinceito.

Existem alguns casos em que a participação da família também pode ser realizada, com a presença dos entes queridos em reuniões que auxiliem a dar um maior conhecimento do assunto a todos que estarão envolvidos do tratamento.

Tratar o corpo e a mente

Não existem só terapias, mas também formas de recuperação do corpo e da mente do paciente, além das práticas de atividades esportivas e outros lazeres e recreações, como o uso de espaços de jogos, brincadeiras e uso do jardim para distração.

Atualmente quase todas as clínicas disponibilizam esses espaços de lazer e distração, justamente para que o dependente químico possa reabilitar sua forma física, que foi muito prejudicada pelo uso das drogas.
Muitas clínicas oferecem nutricionistas para realização de um plano individual de alimentação para recuperação nutricional e prevenção da desnutrição causada pelo consumo de algumas substâncias químicas que retiram completamente o apetite do paciente.

Outro ponto não menos interessante é o tratamento do corpo e da mente através da prática da laborterapia, terapia essa voltada em fazer os pacientes a ocuparem a maior parte de seu tempo trabalhando em praticas como a marcenaria, reparos, jardinagem, limpeza ou qualquer outro tipo de serviço prestado para que não haja tempo ocioso.

Esta forma de tratamento ajuda o paciente de várias maneiras, como desenvolvendo o senso de compromisso, ajudando-o a melhorar suas habilidades e a capacidade de prestação de serviços à sociedade.

Reinserção à vida social


Esta é a ultima etapa do tratamento em uma clínica para viciados em drogas e ela baseia-se na reinserção da pessoa na sociedade, se trata de uma fase cheia de riscos e necessita de muitos cuidados extras.

Nessa etapa o dependente recebe cuidados da equipe de forma continuada, além haver técnicas que irão permitir a ele retomar, mesmo que devagar, ao seu cotidiano normal e o seu convívio benéfico com as pessoas.

O proposito dessa etapa é que ele se aproxime dos seus entes queridos (principalmente nos casos em que houve um rompimento brusco de relacionamento), dos colegas e também das atividades de trabalho que exercia antes de se tornar dependente químico.

Essa etapa é fundamental para ele recuperar a auto estima perdida durante a fase mais difícil do vício e também que possa voltar a frequentar ambientes sociais sem haver recaídas, por isso essa fase é talvez a mais importante de todas a ser monitorada.

Conclusão

Como mostramos neste artigo, o tratamento dependentes químicos engloba várias etapas, que vão desde a internação do paciente em uma clínica de recuperação com ou sem sua vontade, até o momento de sua reinserção na vida social.

A internação em uma clínica é um processo delicado e exige que exista uma equipe multidisciplinar bem preparada para a situação, para dar o apoio necessário e garantir que o paciente se recupera com a maior eficácia possível.

Detalhamos tudo o que você necessita saber sobre o tratamento em uma clinica de reabilitação para dependentes químicos, esperamos que tenha aproveitado ao máximo a leitura e tirado todas as suas dúvidas!

Gostou deste artigo sobre o tratamento?

Caso tenha ficado com alguma dúvida, comente ou entre em contato conosco para que possamos esclarecer melhor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Post

tratamento para dependente químico e alcoólatra com o plano de saúde em clínica de recuperação e clínica de reabilitação para dependentes de drogas e álcool

Plano de saúde tem cobertura para tratamento de dependência química?

Plano de saúde / convênio médico tem cobre realmente o tratamento todo de dependência química para dependente químico em clínica de reabilitação / recuperação? Então vamos lá, plano de saúde

Internação involuntária em SP

Quando é necessária a internação involuntária para dependentes químicos em clínicas de reabilitação / recuperação

Saiba agora quando é realmente necessária a internação involuntáriaQuando há alguém na família que é dependente químico, o apoio é imprescindível neste momento, pode haver a necessidade de interna-lo de

Processo de prevenção à recaídas no uso de drogas – Materiais de estudos para clinicas de recuperação / reabilitação de dependentes químicos

Processo de prevenção à recaídas no uso de drogas È muito comum que dependentes do álcool e drogas ,quando em tratamento ou ao final deste, sofram recaídas e retomem o

error: Content is protected !!